domingo, 13 de setembro de 2015

Grito dos/as Excluídos/as 2015


“Sonho que se sonha só é ilusão;
sonho que se sonha junto é solução”
(Dom Helder Câmara)

            O tema do Grito dos/as Excluídos/as - que chega à sua 21ª edição - é: “Vida em primeiro lugar”. O lema deste ano de 2015 é: “Que país é este, que mata gente, que a mídia mente e nos consome?”.
            O objetivo geral é: “Valorizar a vida e anunciar a esperança de um mundo melhor, construindo ações a fim de fortalecer e mobilizar pessoas para atuar nas lutas populares e denunciar as injustiças e os males causados por esse modelo econômico neoliberal e excludente, ocupando ruas e praças por liberdade e direitos”.
            Os objetivos específicos são:
  • “Defender a vida humana em todas as suas dimensões, dando voz aos excluídos/as para garantir seus direitos e construir alternativas a este sistema capitalista.
  •   Construir espaços e ações participativas a fim de fortalecer, organizar e mobilizar os/as excluídos/as a lutar por uma nova sociedade, denunciando as injustiças cometidas pelo atual modelo econômico e a criminalização dos movimentos e das lutas populares.
  •   Exigir do Estado a garantia de acesso aos direitos básicos como educação, saúde, transporte, segurança, alimentação saudável, água potável, energia, saneamento e moradia. Lutar contra a privatização dos bens naturais e dos serviços públicos.
  •  Continuar cobrando do Estado uma auditoria pública da dívida interna e externa, que a cada ano causa um rombo maior no orçamento geral da União”.

Em nível nacional (regional e localmente poderão ser destacados outros), os eixos temáticos da luta do Grito dos/as Excluídos/as deste ano são: a unidade dos trabalhadores/as e de todos os/as excluídos/as (oprimidos/as, explorados/as, descartados/as); a democratização dos meios de comunicação (que estão concentrados nas mãos de poucas famílias e servem para a alienação e manipulação da sociedade, em benefício dos interesses dos poderosos); a defesa dos direitos básicos (terra, teto, trabalho, soberania alimentar, dignidade humana, educação, saúde, seguridade, transporte público, saneamento, água), o combate às diferentes formas de violência; a função do Estado; a participação política; a ocupação das ruas, praças e espaços públicos.
Ainda é tempo de Grandes Utopias! Como nos alerta Pedro Casaldáliga: “Podem nos tirar tudo, menos a fiel esperança!”.
(Fonte: Jornal Grito dos/as Excluídos/as, ano 21, número 62, abril de 2015).
Informe-se e - no Dia 7 de setembro, o Dia da Cidadania - participe em sua cidade da manifestação do Grito dos/as Excluídos/as. A presença de cada um e de cada uma faz a diferença!
Em Goiânia (onde - no dia 20 de agosto, quinta-feira - já houve o Ato Público pela Democracia, organizado pela Frente Popular), por sugestão e iniciativa do Núcleo Alto da Poeira (Região Noroeste) da CRB Regional, teremos este ano um Grito dos/as Excluídos/as um pouco diferente dos anteriores: uma “Roda de Conversa”, abordando e debatendo - com a colaboração de assessores - 4 temas que afetam mais diretamente a vida da população:
  •   Privatização de serviços públicos;
  •   Financiamento de Campanhas Eleitorais;
  •   Redução da maioridade penal;
  •   Influência da Mídia na formação da opinião pública.

Haverá também um Informe sobre a construção, objetivo e agenda da Frente Popular. Inclusive, no dia 24 de agosto - na reunião de avaliação do Ato Público pela Democracia - saiu como indicativo potencializar a atividade do Grito dos/as Excluídos/as.
As Comunidades, os Movimentos Populares e todas as pessoas interessadas da Região Noroeste - e também das outras Regiões de Goiânia - são convidados/as a participar ativamente da “Roda de Conversa”.
Local: Escola Municipal Maria da Terra - Bairro Floresta (Rua BF 1A QD. 25 - Área 4). Horário: das 9:00 às 11:30 horas.


COMUNICO aos prezados leitores e leitoras que - devido a um período de férias (depois de mais de três anos) - voltarei a escrever na última semana de outubro, retomando os pontos marcantes do Discurso do Papa Francisco aos participantes do 2º EMMP.



Fr Marcos Sassatelli, Frade dominicano
Doutor em Filosofia (USP) e em Teologia Moral (Assunção - SP),
Professor aposentado de Filosofia da UFG
Goiânia, 02 de setembro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A palavra do Frei Marcos: uma palavra crítica que - a partir de fatos concretos e na escuta dos sinais dos tempos - aponta caminhos novos