terça-feira, 18 de novembro de 2014

Direitos Humanos: chama viva que ilumina

[Livro: Agenda Latino-americana Mundial 2015]

            “É nossa hora e este Livro-Agenda nos lembra disso:
hora de mudar o mundo, hora revolucionária de exigir
e cumprir todos os Direitos Humanos para todos!”
(Pedro Casaldáliga e José Maria Vigil)

O Livro “Agenda Latino-americana Mundial” é “o livro latino-americano mais difundido, cada ano, dentro e fora do Continente”. Ele é “sinal de comunhão continental e mundial entre as pessoas e as comunidades que vibram e se comprometem com as Grandes Causas da Pátria Grande, como resposta aos desafios da Pátria Maior”.
Ele é ainda “um anuário de esperança dos pobres do mundo a partir da perspectiva latino-americana; um manual companheiro para ir criando a ‘outra mundialidade’; uma síntese da memória histórica da militância e do martírio de Nossa América; uma antologia de solidariedade e criatividade; uma ferramenta pedagógica para a educação, a comunicação, a ação social e a pastoral popular” (1ª página).
            O Livro “Agenda Latino-americana Mundial” foi pensado não só para uso pessoal, mas também e sobretudo para ser “um instrumento pedagógico para comunicadores, educadores populares, agentes de pastoral, animadores de grupos e militantes”.
            Os textos são breves e “apresentados sob a concepção pedagógica de ‘página-cartaz’, pensada e diagramada de forma que, diretamente fotocopiada, possa ser entregue como ‘material de trabalho’ na escola, na reunião de grupo, na alfabetização de adultos ou exposta no mural. E também para os textos serem transcritos no boletim da associação de bairro ou na revista local”.
            A obra é “macroecumênica”: “enquadra-se nesse mundo de referências, crenças, valores e utopias comuns aos povos e aos homens e mulheres de boa vontade, que nós cristãos chamamos de ‘Reino’, a Utopia de Jesus”. Ela é “obra coletiva, patrimônio latino-americano, anuário antológico da memória e da esperança do Continente” (página 9).
            O Livro “Agenda Latino-americana Mundial 2015” aborda o tema “Direitos Humanos”, que é muito atual e desafiante às Igrejas, às Instituições e à sociedade como um todo. Seguindo o método “ver-julgar-agir”, o tema - nos seus múltiplos aspectos - é aprofundado em vários textos, por diferentes autores e desde diferentes enfoques.
Os Direitos Humanos são, pois, “um sonho, uma causa, uma utopia e uma consciência, que crescem e que é preciso ajudar a crescer cada vez mais” (José Maria Vigil, página 8).  
            As “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil” (2011-2015) ensinam que “a Igreja, como mãe, deve ser a primeira a se interessar pela defesa dos Direitos Humanos” (112).
            No intuito de viver a comunhão com a Igreja e sendo também Igreja, a Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil - que tem sede em Goiânia e presença em 19 Estados do Brasil - há anos, assume a missão de ser responsável pela edição brasileira do Livro “Agenda Latino-americana Mundial”.
            Em Goiânia, o lançamento do Livro “Agenda Latino-americana Mundial 2015” acontecerá no próximo dia 20, às 19:30 horas, no Centro Cultural Cara Vídeo (Rua 83, Nº 361 - Setor Sul).
Na mesma ocasião, acontecerá também o lançamento dos Livros “Advertências e Esperanças: Justiça, Paz e Direitos Humanos” e “Dom Tomás é Terra e Dignidade”.
O Livro “Advertências e Esperanças: Justiça, Paz e Direitos Humanos” reúne “a contribuição de religiosas, religiosos, leigas e leigos da Família Dominicana que se unem em mutirão teológico-pastoral para recordar os 25 anos de vida e ação da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil, estimulando a avançar, cada vez mais, na aventura de construirmos um mundo novo de Justiça, Paz e comunhão amorosa com o universo”.
O Livro “Dom Tomás é Terra e Dignidade”, reúne - entre as várias centenas de mensagens que chegaram por ocasião do falecimento de Dom Tomás - “aquelas que romperam as barreiras dos protocolos e da formalidade; aquelas que deixaram o coração se manifestar para falar do homem, amigo, pastor, irmão que se foi; aquelas que desvendam as pegadas por onde Dom Tomás andou”.
As mensagens foram organizadas em cinco blocos: mensagens das Igrejas e suas instituições; mensagens de entidades e movimentos sociais populares; mensagens do mundo da política; mensagens do exterior; mensagens diversas.
“Trata-se de um registro para preservar a memória de quem, incansavelmente, lutou por uma Igreja, seguidora dos passos de Jesus, por uma sociedade de inclusão, onde todos e todas tenham vida”.
Divulgue os três Livros em seus contatos! Eles são um valioso subsídio na nossa missão em defesa e promoção dos Direitos Humanos e da Justiça e Paz. Participe do lançamento dos Livros! Sua presença é importante e faz a diferença!


Marcos Sassatelli, Frade dominicano
Doutor em Filosofia (USP) e em Teologia Moral (Assunção - SP),
Professor aposentado de Filosofia da UFG
E-mail: mpsassatelli@uol.com.br
                                                                                       Goiânia, 18 de novembro de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A palavra do Frei Marcos: uma palavra crítica que - a partir de fatos concretos e na escuta dos sinais dos tempos - aponta caminhos novos