sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Uma manifestação do Espírito de Deus

“Para que todos os seres humanos vejam a razão da nossa esperança”
(Liturgia das Horas, Laudes, 1ª Semana do Advento, Segunda feira)

No dia 27 deste mês de novembro/11, uma Romaria ao Santuário do Divino Pai Eterno em Trindade - GO “fez a memória” dos 25 anos do 6º Interreclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), acontecido nessa mesma cidade, do dia 21 a 25 de julho de 1986, com o tema “CEBs, Povo de Deus em Busca da Terra Prometida”. A Romaria foi promovida pelo Vicariato Oeste da Arquidiocese de Goiânia, mas teve também a participação de Comunidades do Vicariato Leste, do Vicariato de Aparecida, de outras Comunidades da Arquidiocese e de alguns representantes de outros lugares do Brasil.
Ao todo, participaram da Romaria, com muita vibração e fé, mais de mil pessoas. Estiveram também presentes e concelebraram Dom Tomás Balduino, Bispo Emérito da cidade de Goiás, Pe. Antônio Donizete Guimarães, Vigário Episcopal do Vicariato Leste, Pe. Alaor, Pároco da Paróquia S. Rita de Cássia do Parque S. Rita, Pe. Sidney, Administrador Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Esperança do Jardim Nova Esperança, Frei José Fernandes, da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil, o que escreve este artigo, Frei Marcos, Vigário Episcopal do Vicariato Oeste, Pe. Paim, Vigário Episcopal do Vicariato de Trindade (na primeira parte da Romaria), que fez uso da palavra, dando as boas-vindas, e mais algum Padre no meio do Povo.
A Romaria, mesmo tendo sido programada num tempo relativamente breve, teve uma ampla divulgação na Internet, pelo blog do Regional Centro-Oeste da CNBB, pelo site da Adital (Notícias da América Latina e Caribe), pelo site da Casa da Juventude (Caju) e diversos outros sites. Destacamos também o apoio recebido da Equipe de Crato - CE, que está preparando - com muito entusiasmo e dedicação - o 13º  Interreclesial das CEBs, com o tema “Justiça e Profecia a Serviço da Vida” e o lema “CEBs, Romeiras Do Reino no Campo e na Cidade”. O 13º Interreclesial acontecerá na cidade de Crato - CE, do dia 07 a 11 de janeiro de 2014.
            Enfim, agradecemos a todos/as, que, de uma forma ou de outra, se disponibilizaram para ajudar na divulgação, na preparação e na coordenação da Romaria. Queremos manifestar um agradecimento especial a Equipe de Crato - CE, que elaborou - por iniciativa própria e com muita criatividade artística - um data-show, com diversos slides, fazendo o histórico dos Interreclesiais e destacando - inclusive com o Cartaz da nossa Romaria - o 6º Interreclesial. O texto usado pela Equipe foi o meu Artigo “25 anos do 6º Encontro Interreclesial das CEBs”, publicado no Diário da Manhã de Goiânia, no dia 31 de julho/11 e no site da Adital, no dia 01 de agosto/11. O data show sobre as CEBs será certamente muito útil para Encontros de formação, sobretudo de Animadores.
            O 1º Interreclesial das CEBs, acontecido em Vitória - ES, de 06 a 08 de janeiro/75, tinha como tema “Uma Igreja que nasce do Povo pelo Espírito de Deus”.
            A vida das CEBs e a história dos Interreclesiais são a prova concreta que o tema do 1º Interreclesial se tornou - e se torna cada vez mais - realidade. De fato, as CEBs são uma Igreja que nasce do Povo (sobretudo do Povo empobrecido, oprimido e excluído) pelo Espírito de Deus.
            A Romaria do dia 27 deste mês de novembro/11, primeiro domingo do Advento, foi uma grande Celebração, que começou às 9h. O primeiro momento dessa Romaria-Celebração foi a Acolhida festiva das Comunidades (no trevo de entrada de Trindade) e o Lanche comunitário, num clima de partilha e muita alegria. O segundo momento foi a Caminhada penitencial rumo ao Santuário Novo, com três paradas para pedidos de perdão. O terceiro momento - já entrando no Santuário Novo - foi o Louvor à Santíssima Trindade, a melhor Comunidade. O quarto momento foi a Celebração da Palavra (recebida com cantos e danças), iniciando com a Memória do 6º Interreclesial. O quinto momento foi a Celebração da Eucaristia (com cantos e danças na procissão do Ofertório). O sexto e último momento foi a Renovação do Compromisso e do Envio. A Romaria-Celebração terminou por volta das 13h e 30m, com muitas pessoas cantando e dançando, num clima de fé e espírito fraterno.
             As Comunidades, e todos/as que participamos da Romaria-Celebração tivemos a graça de fazer a experiência de “uma Igreja que nasce do Povo pelo Espírito de Deus”.
            Estamos convencidos que ninguém pode deter a força do Espírito de Deus, nem os Herodes, os Fariseus e os Sinédrios de ontem; nem os Herodes, os Fariseus e os Sinédrios de hoje, que aparecem quando e onde menos  esperamos.
            Uma Romaria-Celebração, como a do dia 27 deste mês de novembro/11, renovou - em todos/as que participamos - o entusiasmo, a fé e a esperança “num outro mundo possível” e “numa outra Igreja possível”: a “Igreja dos Pobres” (João XXIII), a “Igreja Povo de Deus” (Concílio Vaticano II).
Foi justamente às vésperas do Concílio Vaticano II, na Mensagem do dia 11 de setembro/62, que João XXIII afirmou: “A Igreja se apresenta como é e como quer ser: a Igreja de todos e particularmente a ‘Igreja dos Pobres’” (Mensagem de João XXIII. Citada por: Oscar Beozzo. Medellín: Inspiração e raízes. Em: www.servicioskoinonia.org - 27/09/98).
No final da primeira sessão do Concílio Vaticano II, retomando o propósito de João XXIII, o cardeal Giacomo Lercaro, em sua intervenção, declarou com toda força evangélica: "Esta é a hora dos Pobres, dos milhões de Pobres que estão por toda a terra, esta é a hora do mistério da Igreja, mãe dos Pobres, é a hora do mistério de Cristo sobretudo no Pobre". Por conseguinte, "a mais profunda exigência do nosso tempo, incluindo nossa grande esperança de promover a unidade de todos os cristãos, não seria satisfeita, seria ao contrário frustrada, se o problema da evangelização dos Pobres do nosso tempo, fosse tratado no Concílio, como um tema que se junta aos outros". Com efeito, "não se trata de um tema qualquer, mas num certo sentido do único tema de todo o Vaticano II" (Giacomo Lercaro. Discurso: Per la forza dello Spirito Santo. Citado por Oscar Beozzo, Ib.).
            Dom Helder Câmara dizia que devemos agir como o Cristo, que, pertencendo a todos, se identificou com os Pobres, os Oprimidos e com todos aqueles que sofrem.
Termino, lembrando que a atualidade das CEBs foi oficialmente reafirmada pelo Documento de Aparecida, da V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe, e pelo Documento “Mensagem ao Povo de Deus sobre as CEBs”, da 48ª Assembleia Geral da CNBB de 2010. Na Mensagem os bispos, retomando as palavras do Doc. 25 de 1982, declaram: “As Comunidades Eclesiais de Base constituem, em nosso país, uma realidade que expressa um dos traços mais dinâmicos da vida da Igreja”.


                  Diário da Manhã, Opinião Pública, Goiânia, 01/12/11, p. 2



Fr. Marcos Sassatelli, Frade dominicano
Doutor em Filosofia (USP) e em Teologia Moral (Assunção - SP)
Prof. de Filosofia da UFG (aposentado)
Prof. na Pós-Graduação em Direitos Humanos
(Comissão Dominicana Justiça e Paz do Brasil / PUC-GO)
Vigário Episcopal do Vicariato Oeste da Arquidiocese de Goiânia
Administrador Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A palavra do Frei Marcos: uma palavra crítica que - a partir de fatos concretos e na escuta dos sinais dos tempos - aponta caminhos novos